Informe Chapada

Informe Chapada


Resultado da busca pela categoria "meioambiente"

Atropelamentos matam 475 milhões de animais por ano

09.04.2016

Meio Ambiente

De acordo com relatório divulgado no início desse ano pelo Ministério do Meio Ambiente, o país tem atualmente uma lista com 1.173 espécies animais em risco de extinção. Porém, um número ainda mais assustador do que esse é a quantidade de animais silvestres que morrem por atropelamento nas rodovias de Norte a Sul do Brasil. São cerca de 475 milhões de mortes de animais, por ano, segundo o Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia de Estradas (CBEE). Média de um óbito a cada 15 segundos.

A expansão desenfreada das cidades e, consequentemente, a diminuição das florestas naturais, é a principal causa desse problema. As rotas, normalmente utilizadas, acabam sendo interrompidas e, em busca de alimentos, muitos animais acabam indo para além de seu habitat natural, chegam às áreas urbanas e se submetem a esse e outros riscos.

Os pequenos vertebrados, como sapos, cobras e aves de menor porte, são as principais vítimas, representando quase 90% das mortes por atropelamento. Animais de médio porte, como gambás e macacos, cerca de 10%. De maior porte, como as onças, antas e lobos, 5%.

No Congresso, um Projeto de Lei (466/2015) sobre morte de animais nas estradas, que conta também com o apoio da sociedade civil, está tramitando em regime de urgência. Entre outras propostas, o PL prevê a criação de passarelas ou pontes para a travessia dos animais e melhor sinalização nas estradas. Ele já foi aprovado por unanimidade pela Comissão de Transportes da Câmara e agora segue para a Comissão de Meio Ambiente.

Capacidade baiana de gerar energia eólica chega a 41%

08.03.2016

A Bahia fechou 2015 com saldo positivo em se tratando de energia eólica. A capacidade instalada para geração deste tipo de energia fechou em 41,6%, encerrando o ano com 1,4 mil megawatts (MW).

Os dados são da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), de acordo com o blog Farol Econômico. Com os números, o estado se coloca como quarto maior produtor de energia gerada a partir dos ventos, atrás do Rio Grande do Norte, Ceará e Rio Grande do Sul, e é considerado o que teve maior crescimento entre os gigantes do setor. Em todo o país, as usinas eólicas aumentaram sua capacidade instalada em 45%, saindo de 5,7 mil MW para 8,3 mil MW. No ano passado, 102 empreendimentos entraram em operação, culminando em 325 geradoras ativas no país.

O pico de produção do país foi em agosto, com 3,2 mil MW médios atingidos - a intensidade é suficiente para atender um terço do consumo médio do nordeste, segundo a publicação.

Massa de ar quente e seco perde força e permite volta das chuvas

04.03.2016

Meio Ambiente

Para os próximos dias, incluindo sábado (5) e domingo (6), estão previstas algumas mudanças nas condições do tempo na Bahia. Além da massa de ar quente e seco perder força, uma frente fria que está sobre o sudeste brasileiro, somada à umidade vinda da Amazônia e do Oceano Atlântico, favorecem o aumento da nebulosidade e, consequentemente, das chances de ocorrer chuvas no estado.

Na faixa centro-oeste e norte, a combinação da frente fria com a umidade vinda da Amazônia deixa o céu encoberto e chuvoso na maior parte do período. Tal condição, aliada às altas temperaturas (com máximas variando entre 34°C e 37°C), pode contribuir para a intensificação das chuvas, sobretudo no oeste e São Francisco, onde não se descarta as chances de trovoadas.

Já na faixa centro-leste, apesar de ainda estar sob a influência da massa de ar, a umidade vinda do Oceano Atlântico deve contribuir para o aumento da nebulosidade, deixando o céu parcialmente nublado, com possibilidade de chuvas fracas e passageiras. As temperaturas permanecem elevadas nessa faixa, com máximas podendo atingir os 36°C (no nordeste), o que aumenta as chances de chuvas.

Os Índices de Radiação Ultravioleta (IUV’s) previstos para este fim de semana devem variar de 13 a 14. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), esses índices estão classificados na categoria ‘Extrema’, o que requer cuidados quanto à exposição prolongada à radiação solar, principalmente das 10h às 16h. Para evitar danos à saúde, é recomendado o uso de protetor solar, chapéu, boné, óculos escuros e roupas leves.

Polícia pede prisão de ex-presidente da Samarco por tragédia em MG

23.02.2016

Foto: Reprodução

A Polícia Civil de Minas Gerais solicitou, nesta terça-feira (23), a prisão preventiva do presidente licenciado da Samarco, Ricardo Vescovi, e outros cinco funcionários da empresa. O pedido foi feito após a conclusão do primeiro inquérito que investiga o rompimento da barragem de resíduos de Fundão, em Mariana (MG). De acordo com a Folha de S. Paulo, além de Vescovi, foram indiciados o diretor licenciado de operações Kléber Terra, o gerente de projetos Germano Lopes, o gerente de operações Wagner Milagres, o coordenador técnico Wanderson Silvério e a gerente de geotecnia Daviely Rodrigues. Também foi solicitada a prisão do engenheiro responsável pela declaração de estabilidade de Fundão, Samuel Loures, da Vogbr. Os seis foram indiciados por homicídio qualificado por dolo eventual, inundação e corrupção ou poluição de água potável. O inquérito do órgão tem 13 volumes e 2.432 páginas. Outras sete pessoas foram indiciadas no processo de apura crime ambiental. O rompimento da barragem de Mariana deixou 19 mortos, dois desaparecidos e destruiu o distrito de Bento Rodrigues. A lama tóxica provocou ainda a morte de milhares de peixes no Rio Doce e a contaminação do mar, na região do município de Linhares (ES).

Potencial da energia solar ainda é subutilizado no país

22.02.2016

A participação da energia solar no sistema elétrico brasileiro ainda é tão pequena, 0,02%, que até a energia nuclear, representada pelas usinas de Angra 1 e Angra 2, é 70 vezes maior, ou 1,4% da capacidade instalada. Os dados são do resumo geral dos novos empreendimentos de geração elaborado pela Agência Nacional de Energia Elétrica Nacional (Aneel) que engloba a geração até dezembro de 2015. O documento ainda informa que apenas em 2018 a energia solar vai aumentar sua participação no Sistema Integrado Nacional (SIN). Atualmente, são 34 usinas solares com capacidade de gerar 21 MW. Até 2018, porém, estão programados para entrar em funcionamento 41 empreendimentos fotovoltaicos, que vão aumentar em 1.172 MW essa participação. Mesmo assim, a energia solar ainda não deverá empatar com a nuclear, pois a produção das usinas de Angra dos Reis é hoje de 1.990 MW.

Segundo o presidente executivo da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) Rodrigo Lopes Sauaia, a expectativa do setor é que a energia solar alcance 4% da participação no SIN até 2024. Ele ainda cita o acordo assinado pelo governo brasileiro na Conferência Mundial sobre o Clima (COP-21), que determina que a matriz energética do país terá 23% das fontes renováveis solar, eólica e biomassa, até 2030.

Mesmo com esses avanços, o potencial da energia solar ainda é subutilizado. “A energia solar no Brasil tem um potencial de geração que é maior do que a soma do potencial de todas as outras fontes de energia renováveis juntas”, afirma Sauaia. Segundo o presidente, o potencial hídrico brasileiro é de 280 Gigawatts (GW), o eólico é de 300 GW, e o solar ultrapassa 10 mil GW. “Se usássemos células fotovoltaicas nos telhados brasileiros, a geração seria 2,5 vezes a necessária para abastecer todos os domicílios do país”, diz Sauaia.

Empresa italiana investe R$ 440 milhões em 3 usinas eólicas na Bahia

27.01.2016

Foto:Informe Chapada

O secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado (SDE), Jorge Hereda , assina nesta quinta-feira (28), às 14h30, protocolo de intenções com a companhia italiana de energias renováveis Enel Green Power (EGP), para instalação de três parques eólicos nos municípios de Brumado e Dom Basílio, na região centro sul da Bahia.

O investimento é de R$ 440 milhões, com geração de 600 empregos diretos, nas obras civis, e 11 postos de trabalho quando os parques estiverem em funcionamento.

A companhia italiana ganhou no Leilão de Fontes Alternativas, realizado em 27 de maio de 2015, o direito durante 20 anos de fornecer de energia que será produzida por meio dos parques eólicos Cristalândia I, II e III, com capacidade instalada de 90 MW [Megawatt] e previsão de entrar em funcionamento em 2018.

Na Bahia, a Enel conta com 19 usinas eólicas, o equivalente a 554 MW, contando entre projetos em funcionamento e em fase de construção, com um montante de investimentos na casa de R$ 3 bilhões. A companhia também administra 410 MW de projetos solares fotovoltaicos.

Chuvas conseguem conter incêndio na Serra das Paridas, perto de Lençóis

05.01.2016

Meio Ambiente

Foto: Divulgação / Corpo de Bombeiros

Um sobrevoo foi realizado em parte da região afetada pelos incêndio na Chapada Diamantina para monitorar os efeitos das chuvas sobre os atuais focos, na manhã desta terça-feira (5). A Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema), responsável pela operação, indicou que ainda há fogo no Morro Branco, em Palmeiras. Contudo, as chamas da Serra das Paridas, em Lençóis, foram apagadas.

A aeronave ainda não pôde sobrevoar a cidade de Ibicoara, também alvo de preocupação na região, por questões de segurança, devido às fortes chuvas e ventos que atingem a Bahia. No entanto, a Secretaria aponta as condições climáticas como positivas para apagar o fogo. As chuvas começaram a cair na Chapada no domingo (3) e tem ajudado no combate aos focos de incêndio da região.

A Sema informou que cinco helicópteros e seis aviões continuam no combate aos incêndios. Além dos aviões, brigadas da Bahia e de Pernambuco, além de equipes do Corpo de Bombeiros da Bahia e do Distrito Federal (DF), atuam no combate ao fogo, que voltou a consumir áreas de vegetação na Chapada Diamantina.

Em entrevista ao G1, na tarde de domingo, o chefe-substituto do Parque Nacional, César Gonçalves, destacou que a falta de chuva e o clima seco colaboram com a proliferação das chamas.

Por causa dos incêndios na região, o turismo acabou sendo afetado, e a taxa de ocupação de hotéis e pousadas ficou, na maioria dos locais, abaixo da média dos últimos anos.

Cidades na Chapada Diamantina voltam a ser atingidas por focos de incêndio

02.01.2016

Foto:G1

Áreas de vegetação em cidades na Chapada Diamantina voltaram a ser atingidas por focos de incêndio, na última sexta-feira (1º).

A região turística já teve milhares de hectares destruídos pelo fogo nos últimos meses de 2015. De acordo com a Secretaria Estadual do Meio Ambiente, houve reignição de focos, principalmente, na área que pertence ao município de Ibicoara. Também há registro de focos em Mucugê.

"A área que mais preocupa é Ibicoara porque é onde há uma situação muito insistente do fogo", disse o secretário estadual do Meio Ambiente, Eugênio Esplenger. Ele informou ainda que as chamas ganharam maiores proporções neste sábado (2), mas que bombeiros e brigadistas já trabalham no combate. A secretária municipal do Meio Ambiente de Ibicoara, Tatiana Portela, disse que ainda não é possível confirmar a extensão dos focos. "Podemos dizer que é um velho fogo que voltou a queimar em Ibicoara. São focos relativamente fortes, mas ainda não podemos confirmar a extensão", afirmou. 

Municípios de Paramirim e Iraquara recebem cadastro hídrico

29.09.2015

Meio Ambiente

Foto: Focado em Voce

O Instituto do Meio Ambiente de Recursos Hídricos (Inema) com o objetivo de fazer o levantamento de todos os usuários de recursos hídricos que captam águas superficiais e/ou subterrâneas realizou no último mês de agosto o Cadastro Estadual de Recursos Hídricos nos municípios de Paramirim e Iraquara.

O procedimento é gratuito e pode ser realizado por empresas licitadas, pelos técnicos do Inema por meio de campanhas ou na sede do Instituto, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador.

Após a implantação do sistema de cadastramento é possível o monitoramento, controle e fiscalização do uso de recursos hídricos.

O cadastro é uma ferramenta que auxilia a elaboração de políticas de gestão dos recursos hídricos, pois o mesmo permite o conhecimento dos diversos usos nas bacias hidrográficas. 

Tarifa da bandeira vermelha na conta de luz cai 18%

29.08.2015

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou ontem a redução de 18% no valor da tarifa da bandeira vermelha, o indicador que engloba os usuários que pagam o custo mais alto de energia. Com a decisão, o valor adicional para cada 100 kWh consumidos cai de R$ 5,50 para R$ 4,50. Para os consumidores, o novo valor corresponderá a uma redução de 2 pontos percentuais no custo da conta de luz. A mudança entra em vigor em 1º de setembro e vai até 31 de dezembro.

A decisão foi adotada em razão da redução no custo de produção de energia decorrente do desligamento de 21 termelétricas, com custo variável unitário maior que R$ 600 MWh, aprovada no início deste mês.

Apesar do pedido das distribuidoras para que o valor seja mantido, devido ao aumento dos custos de geração, a diretoria da Aneel entendeu que o uso das bandeiras deve refletir o cenário de disponibilidade da geração e não os problemas de caixa das distribuidoras.

O diretor-geral da Aneel, Romeu Rufino, ressaltou que a redução não representa melhora no quadro de geração de energia do país.

O parque gerador de energia elétrica no Brasil é composto predominantemente por usinas hidrelétricas. Para funcionar, essas usinas dependem da chuva e do nível de água nos reservatórios. Quando há pouca água armazenada, usinas termelétricas precisam ser ligadas para não interromper o fornecimento de energia. Com isso, o custo de geração aumenta, pois essas usinas são movidas a combustíveis como gás natural, carvão, óleo combustível e diesel.

Fruticultura, a nova riqueza de Rio de Contas

04.08.2015

O município baiano de Rio de Contas, localizado na Chapada Diamantina, está próximo de se tornar um grande produtor de manga, maracujá e laranja ponkan.

Hoje, Rio de Contas mostra o seu potencial para a agricultura.

Em vários localidades é possivel perceber o crescimento da fruticultura.

As frutas são classificadas pelo mercado consumidor como as melhores para o consumo, dispondo de nascentes em abundância, bom clima e terra fértil; a ausência de pragas é outro ponto positivo observado pelos agricultores e investidores.

Um dos fatores positivos para o aumento da produção foram os incentivos por parte do Governo Federal como o crédito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). A  criação da agência do Banco do Nordeste na cidade de Brumado também foi ponto decisivo, já que facilitou o acesso ao crédito.

A cidade, que teve como principal fonte de riqueza a exploração do ouro, experimentou a decadência após retirada das riquezas naturais. O mesmo aconteceu com a construção da Barragem Engenheiro Luís Vieira com o perímetro irrigado que beneficiou por anos a cidade vizinha de Livramento de Nossa Senhora. Neste período, moradores que viviam da agricultura familiar, foram obrigados a sair das suas terras férteis para morar em terras improdutivas e quase nada receberam em troca.

Refazeres realiza Vivência com a Terra em Rio de Contas

18.07.2015

VIVÊNCIA COM TERRA é a primeira oficina do projeto Refazeres e acontece nos dias 18 e 19 de julho de 2015 em Rio de Contas, Chapada Diamantina, BA.

A oficina é o desdobramento da pesquisa inicial do projeto Refazeres, Bioconstrução e Cultura em Rio de Contas, na qual identificamos 15 construtores que detêm conhecimentos tradicionais nas construções da cidade além dos materiais recorrentes nesses processos de construção que são: a terra, a madeira, o ferro e a pedra. A partir daí convidamos o mestre Robério Antônio da Silva Trindade, conhecido como Fizinho, que trabalha na feitura dos tijolos de adobinho para orientar essa primeira vivência do projeto em conjunto com os bioconstrutores David Borja e Nagoy Sol.

Fizinho trabalha na Olaria da cidade, localizada no bairro de mesmo nome há 30 anos e é um dos fazedores de adobinho que mais produz tijolinhos. David e Sol vêm aplicando técnicas de bioconstrução em diversas casas em Rio de Contas e na região há cerca de cinco anos.

Durante a oficina acontecerão experimentações com terra, introdução à permacultura e à bioconstrução, visita técnica, tijolo cru e cozido, testes de rebocos e de tintas com terra, teoria e prática na Olaria. A proposta é promover a troca de saberes entre a construção tradicional e a bioconstrução atual fomentando o diálogo entre mestres e bioconstrutores da cidade.

Convidamos pedreiros, serventes, bioconstrutores, professores, estudantes, arquitetos, tecnólogos, moradores da região e todas as pessoas interessadas em compartilhar saberes e fazeres da construção com terra. A vivência é gratuita e as inscrições podem ser feitas no Espaço Imaginário Rio de Contas ou no blog.

As vagas são limitadas, as fichas de inscrição estão disponíveis online ou no Espaço Imaginário em Rio de Contas: Rua Dr. Basílio Rocha 232, Centro, Rio de Contas, (77) 3475-2328.

O projeto Refazeres é uma pesquisa das tradições construtivas em Rio de Contas no encontro entre mestres de ofícios que compõem a história da arquitetura popular local com os bioconstrutores que habitam a cidade. Este projeto foi contemplado pelo Edital 24/2013 de Grupos e Coletivos Culturais 2014 da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SECULT).

China pretende reduzir 65% da poluição até 2030

02.07.2015

Meio Ambiente

China pretende reduzir em até 65% a emissão de dióxido de carbono até 2030. A medida atende o plano da Conferência Mundial sobre o Clima, a COP 21, prevista para ocorrer em dezembro, na cidade de Paris.

Em comunicado, o país asiático, que é o maior poluidor do mundo, indicou que pretende avançar em dois itens no comparativo com 2005: 20% na geração de energia renovável e 4 bilhões e 500 milhões de metros cúbicos de reserva florestal.

A COP 21 vai reunir 196 países-membros da Convenção das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, com o objetivo de assinar um novo acordo global em substituição ao Protocolo de Kyoto.

O5 de Junho: Dia Internacional do Meio Ambiente!

05.06.2015

Meio Ambiente

Foto: Ascom/CEFORC

Cuide bem da natureza

“Hoje acordei cedo, contemplei mais uma vez a natureza.
A chuva fina chegava de mansinho.
O encanto e aroma matinal traziam um ar de reflexão. 
Enquanto isso, o meio ambiente pedia socorro.
Era o homem construindo e destruindo a sua casa. 
Poluição, fome e desperdício deixam o mundo frágil e degradado.
Dias mais quentes aquecem o “planeta água”.
Tenha um instante com a paz e a harmonia.
Reflita e preserve para uma consciência coletiva.
Ainda há tempo, cuide bem da natureza”.
                                                           Gleidson Melo

Hoje, Dia Mundial do Meio Ambiente, refletimos esse poema, assevera a necessidade do Mundo pensar, que as florestas, os rios, as nascentes, o solo e os animais estão sofrendo com a poluição, o desmatamento, a caça e a pesca sem limites.
Ressalta, também, a importância de promover o desenvolvimento sustentável, a agroecologia e a proteção de toda fauna e flora, que envolva a participação coletiva, cidadã e democrática.
Que esses ensinamentos sirvam de exemplos para o equilíbrio entre homem e natureza, pois, o caminho da extinção dos nossos Recursos Naturais está na omissão da população, da Justiça e dos governos.
Salve o dia Mundial do Meio Ambiente!
Salve Chico Mendes, Irmã Dorothy Stang e todos que lutam pela defesa da Natureza.

Em entrevista ao Informe Chapada, Rosivaldo Romão, presidente da ADIB, diz que perímetro Irrigado do Brumado vive momento crítico

06.05.2015

Barragem Luiz Vieira em Rio de Contas tem volume atual de 28.277,000 m3 de água

No último dia 28 de abril, seguindo o estatuto da Associação do Distrito de Irrigação do Brumado (ADIB), Rosivaldo Romão da Silva foi reeleito e teve seu mandato prorrogado por mais três anos.

O Informe Chapada procurou Romão e o questionou sobre variados temas que recentemente ficaram em destaque no município de Livramento de Nossa Senhora, e adjacências.

O presidente da ADIB nos revelou que além do momento crítico que vem sofrendo o perímetro irrigado do Rio Brumado, disse que está trabalhando no intuito de conduzir projetos em relação a infraestrutura, além de torcer para que as chuvas voltem a cair em condições normais na região para que o projeto de irrigação volte a ser um grande polo de emprego e renda.

Questionado sobre o volume do açude Luiz Vieira, que abastece os municípios de Rio de Contas, Livramento e Dom Basílio, Romão foi direto e afirmou que está com 28.277,000 m3 (milhões).

Confira o conteúdo da entrevista:

Informe Chapada: E esse volume, é confortável?

Rosivaldo: Esse volume ainda não é confortável nesse período de crise de água. Desde o mês de junho do ano de 2013 a água do açude Luiz Vieira é apenas para salvar as plantas, com um cronograma de apenas 12 horas por semana. Agora com o implemento da reserva do subsolo e com as perfurações de poços, alguns produtores já estão conseguindo produzir sem agredir ainda mais a barragem.

Inf. Chapada: Qual é a margem de segurança?

Rosivaldo: A margem de segurança é de 15.000.000 m3, quando atinge esse nível ela está destinada apenas para o consumo humano, não sendo disponibilizada para a irrigação.

Inf. Chapada: Muito se fala na Barragem Luiz Vieira, e pouco se sabe sobre o açude “Rio do Paulo”, qual é o seu volume atual?

Rosivaldo: O DNOCS divulgou que com as chuvas dos últimos dias ele acumulou cerca de 8.720.000 m3, um excelente aumento, visto que o açude Luiz Vieira teve um acumulo de 1.700.000 m3. O riacho do Paulo acumulou 6.500.000 m³, que são administradas pala comissão gestora das águas.

Inf. Chapada: Sabemos que a liberação de água é feita em três blocos, 1, 2 e 3, como é feita essa distribuição

Rosivaldo: Hoje depois desse novo cronograma de apenas 12 horas por semana, as quartas feiras a água é direcionada para os blocos um e três e parte do bloco dois e na quinta é realizado o complemento da água para atender o restante do bloco dois.

Rosivaldo completou que, nos dois dias de liberação de água para a irrigação, é utilizada cerca de 400.000 m3 e no decorrer da semana a barragem continua aberta para atender a demanda do consumo humano e animal, o qual corresponde há 190 mil litros por segundo.

Acude do Rio do Paulo acumulou nos últimos dias 6.500.000 m³ de água